Produção da Indústria Processadora de Aço cai em maio, de acordo com IBGE

A produção da indústria processadora de aço, defendida pela AbimetalSicetel recuou em maio de 2024, na comparação com abril, de acordo com os
resultados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física, a cargo do IBGE. Na
série dessazonalizada, usada para comparar maio com abril, as produções da
metalurgia e a de produtos de metal (exceto máquinas e equipamentos) caíram
2,8% e 1,2%, respectivamente. Estes resultados negativos revertem os ganhos
verificados em abril, trazendo a produção industrial dos processadores de aço para
patamares inferiores ao de março.
O fraco resultado para o último mês se reflete na comparação com maio de
2023, com queda na produção de 5,6% para a metalurgia e de 1,3% para os
produtos de metal. Os resultados negativos em maio reverteram os ganhos da
metalurgia para o começo do ano: na comparação do acumulado até maio contra
igual período de 2023, a produção do setor apresenta recuo de 1,1%. Na
comparação do acumulado do ano até abril, ainda havia um ligeiro crescimento
(0,1%).
Os produtos de metal ainda se mantém em território positivo em 2024, com
crescimento de 1,6% no acumulado até maio, na comparação com os primeiros
cinco meses do ano anterior.
Na variação acumulada dos últimos 12 meses frente aos 12 meses
imediatamente anteriores, ambos setores apresentam desempenho negativo: -2%
para a metalurgia e -1,1% para os produtos de metal.
A queda da produção também foi registrada para a industrial geral, que
recuou 0,9% em maio frente a abril. Dos seus componentes, a indústria extrativa
avançou 2,6%, enquanto a de transformação recuou -2,2%.
No acumulado do ano, a indústria geral ainda registra crescimento de 2,5%,
com avanço da extrativa (2,3%) e de transformação (2,6%). Para o acumulado de 12
meses, o desempenho também é positivo para estes três grupos. A indústria geral
cresce 1,3%, a extrativa 6,1% e transformação 0,5%.
Analisando-se a indústria de transformação em mais detalhes, 16 dos 24
setores apresentaram queda da produção em maio frente a abril, enquanto no
acumulado do ano são 18 setores com ganhos. No acumulado de 12 meses,
somente 9 setores apresentaram crescimento.
A piora dos indicadores de maio já devem refletir os efeitos negativos das
fortes chuvas no Rio Grande do Sul, algo que ficará mais claro quando os dados de
produção regional forem divulgados nas próximas semanas.
Os resultados recentes indicam que a produção industrial geral se encontra
1,4% abaixo do nível pré-pandemia (fevereiro de 2020). Para os processadores de
aço, o desempenho tem sido muito pior. Nesta mesma comparação, a metalurgia e
os produtos de metal se encontram 8,1% e 9,2% abaixo, respectivamente.
O desempenho industrial ainda está distante do pico da série histórica, a
indústria geral ainda está 17,8% abaixo do se auge, verificado em maio de 2011.
Para os processadores de aço, o resultado ainda é pior, com queda de 29,2% para
a metalurgia e 39,2% para os produtos de metal. Para o primeiro destes, o pico foi
em julho de 2008, para o segundo, março de 2011.